Hiperóxia

A hiperóxia é o aumento significativo da disponibilidade de oxigénio no plasma sanguíneo. Favorece o metabolismo celular e permite que o oxigénio chegue ao cérebro, cartilagens, ossos e tecidos que, por diversas alterações circulatórias, não o recebem adequadamente. 

Mecanismo de ação da OTH

O paciente respira altas doses de 02 num ambiente hiperbárico.
A alta HIPERÓXIA incrementa o volume de oxigénio dissolvido no plasma sanguíneo.
A maior difusão de oxigénio alcança os tecidos menos irrigados.
A HIPERÓXIA produz uma grande variedade de benefícios fisiológicos ao corpo.

Aplicações

Devido aos seus efeitos fisiológicos terapêuticos, a Oxigenoterapia Hiperbárica está indicada para todas as patologias que ocorram com dor e inflamação. Entre os seus principais efeitos: acelera os tempos de reabilitação e favorece a cicatrização de feridas.

Conheça as aplicações da Oxigenoterapia Hiperbárica em:

Efeitos Fisiológicos

Vasoconstrição não hipoxémica

O aumento de O2 disponível em pequenas artérias e capilares favorece a vasoconstrição que se dá nos tecidos saudáveis e sem deterioração da oxigenação. Isto promove uma redistribuição de fluxo até às zonas hipoperfundidas.

Estimulação da síntese de colagénio

a hiperóxia induz a hidroxilação da prolina e a proliferação dos fibroblastos. Assim, favorece a síntese de colagénio, fundamental para o processo de cicatrização de feridas e a reparação de tecidos.

Angiogénese

A hiperóxia estimula e favorece a formação de pequenos vasos sanguíneos, melhorando a perfusão.

Estimulação da imunidade celular

As células polimorfonucleares são um tipo de glóbulo branco que utilizam radicais livres como mecanismo bactericida. A presença de O2 favorece e estimula este processo.

Estimulação da síntese de colagénio

A hiperóxia induz a hidroxilação da prolina e a proliferação dos fibroblastos. Assim, favorece a síntese de colagénio, fundamental para o processo de cicatrização de feridas e a reparação de tecidos.

Atividade bactericida

A hiperóxia gera espécies reativas de oxigénio que aumentam a atividade dos antibióticos. Além disso, é ativa contra o biofilme bacteriano.

Regulação do stress oxidativo e da resposta inflamatória

A hiperóxia atua sobre reguladores e mediadores da resposta inflamatória e diminui o stress oxidativo. Isto tem como resultado um efeito anti-inflamatório e diminui o dano celular.

Estimulação das células estaminais

A hiperóxia estimula a diferenciação e libertação de células estaminais. Assim, contribui para o processo de reparação de tecidos e formação de novos vasos sanguíneos.

Aumenta o fluxo sanguíneo cerebral e a neuroproteção

Melhora a perfusão graças à formação de novos vasos a à oxigenação cerebral, diminui o edema e a inflamação do sistema nervoso central.

Osteogénese

A hiperóxia estimula a diferenciação das células formadoras do osso, favorece a osteogénese e reparação óssea.

Vasoconstrição não hipoxémica

O aumento de O2 disponível em pequenas artérias e capilares favorece a vasoconstrição que se dá nos tecidos saudáveis e sem deterioração da oxigenação. Isto promove uma redistribuição de fluxo até às zonas hipoperfundidas.

Sessão Típica

História da Medicina Hiperbárica

1662 - Grã Bretanha

Desenvolvimento do primeiro esboço de Câmara Hiperbárica chamada “Domicillium”.

1775 - 1789

Descoberta das propriedades do oxigénio.

1860 - Canadá

Construção da primeira Câmara Hiperbárica.

1878

Tratamento da doença de descompressão do mergulhador.

1920-1930- EUA

Tratamento para problemas "hipóxicos" (circulatórios, cardíacos). 

Construção do "Esférico de Cunninghan-Tinker", uma Câmara Hiperbárica de 5 pisos.

1959 - Amsterdão

Primeira sala operatória hiperbárica para cirurgias cardiopulmunares e enxertos de pele. 

1960 - EUA e resto do mundo

Primeiro tratamento com sucesso da gangrena gasosa.

Ampliam-se as indicações para feridas, infeções por anaeróbios e intoxicação por monóxido de carbono.

1974-1990 - Rússia

Emergência de centros de medicina hiperbárica em Moscovo.

Atualidade - EUA e Israel

Descrevem-se as pressões menores que 2 ATA como ótimas para desordens neurológicas e ampliam-se significativamente as indicações.

CÂMARAS HIPERBARICAS 

| Revitalair®